Ex-mulher diz que empresário tinha dois RGs e era “estelionatário de 1ª”

Acusado de exploração sexual de adolescente e extorsão, Luciano Roberto Pageu, 40 anos, preso em flagrante por extorquir o vereador Alceu Bueno, tem uma lista comprida e história antiga de crimes, segundo a ex-mulher , a manicure Vania Satiro, 36. Casada com ele de 2000 a 2003, ela não tem lembranças nada boas do casamento e revelou que o ex é um “estelionatário de primeira”. Ela concedeu entrevista exclusiva ao Campo Grande News por meio do Facebook e direto do Rio de Janeiro, onde reside atualmente.
De acordo com ela, Pageu tem duas identidades: “uma de Luciano Roberto Pageu e outra Luciano José Bezerra”. “Na época, ele me falou que um tio dele o tinha registrado como filho para ter direito acho que ao plano de saúde, mas não acreditei! Sempre achei que ele tinha mandado fazer um novo RG para fazer seus esquemas sujos”, afirmou.

Vania revelou ainda que o ex tirou dinheiro de muita gente, com a promessa de limpar o nome rápido e com pouco dinheiro. “Em São Paulo, ele abria contas em nome de laranjas pra pegar o dinheiro dos limites e pedia cartões de crédito pra estourar”, contou.

Já em Campo Grande, segundo ela, Pageu fez golpe semelhante. “Ele botou um anúncio no jornal local, dizendo que ajudava a limpar o nome das pessoas com facilidade e barato, com isso, tomou dinheiro de muita gente, porque induzia as pessoas a abrir conta e parte do que as pessoas iam ter de limite ele pegava”, relatou.

Em meia às falcatruas, Vania disse que muita coisa sobrou para ela e que sofreu muito e perdeu muito dinheiro com o esquemas do ex. “Ele vivia enrolado com as falcatruas, nunca concordei com as coisas que ele fazia, tanto que me separei”, ressaltou.

Evangélico? – Enquanto foi casada com Pageu, Vania contou que nunca o viu na igreja. “Ele nuncaaa frequentou nenhuma igreja, deve ter achado uma maneira fácil em Campo Grande de ganhar as custas de alguém”, comentou. No ano passado, no entanto, Pageu abriu duas empresas voltadas à evangelização: o Grupo Altar e a Revista Altar.

Luciano Pageu, 40 anos, foi preso no dia 16 de abril, em Campo Grande, quando recebia R$ 15 mil do vereador Alceu Bueno. O flagrante foi feito pela DPCA (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente), após o vereador denunciar extorsão.

A ação também resultou na prisão do ex-vereador Robson Martins, que em 2003 renunciou após denúncia de exploração sexual infantil. Ao fim do processo, ele foi inocentado pelo TJ/MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul).

Alceu Bueno procurou a DEPCA no dia 16 e acusou Robson e Luciano de extorsão. O parlamentar disse já ter pago R$ 100 mil e o motivo foi a existência de vídeos de Alceu mantendo relações sexuais com duas menores de idade.

Em depoimento, Luciano disse que soube do caso por meio de Fabiano Viana Otero, que já prestou serviço em sua empresa, e tentou auxiliar o vereador, inclusive, contatando Robson, que é advogado.

Já Vania não mora mais em Campo Grande e reconstruiu sua vida no Rio de Janeiro, onde tem uma nova família.

Comentários

Comentários